Deise Dilkin20/07/2020

Quem Foram os Amigos de Frida Kahlo

Frida Kahlo além de uma pintora talentosa, foi uma artista muito singular e amada por todos que tiveram a oportunidade de conhecê-la de perto. Seus amigos eram fiéis e dedicados e por mais que muitos deles morassem distante (a maioria nos Estados Unidos), mantiveram muita correspondência e laços profundos até a morte da artista.

Suas gargalhadas eram profundas e contagiavam todos ao seu redor. Em todos os eventos e jantares que participava, ela surpreendia com sua simplicidade, espontaneidade, comentários ácidos e até mesmo pelo seu comportamento impulsivo.

Os amigos de Frida Kahlo eram fiéis e dedicados e por mais que muitos deles morassem distante (a maioria nos Estados Unidos), mantiveram muita correspondência e laços profundos até a morte da artista.

Seus amigos mais íntimos lembravam dela com lágrimas nos olhos e chega realmente a impressionar o amor que a maioria das pessoas que a conheceu sentia por ela. Frida conquistava as ex-mulheres e as amantes de seu marido, transformando-as em amigas íntimas.

Apesar de ter conquistado uma legião de amigos e fãs pelo mundo afora, vale a pena mencionar alguns que foram realmente especiais para a pintora!

Uma casa sempre repleta de amigos

Não bastasse toda a exuberância individual da pintora, ela ainda se casou com um artista muito popular e que tinha amigos espalhados pelo mundo todo. Suas residências estavam sempre repletas de amigos e conhecidos, seja a Casa Azul em Coyoacán, ou a casa que Diego construiu em San Ángel logo depois que eles se casaram.

O casal foi amigo de Trotsky, Nelson Rockefeller, Pablo Neruda, André Breton, Henry Ford, Dolores Del Río, Paulette Goddard e uma infinidade de personalidades da época. Isamu Noguchi foi amante de Frida e Pablo Picasso ficou encantado com seus autorretratos. Ela foi fotografada por Edward Weston e Imogen Cunningham.

Em sua exposição individual na Cidade do México pouco antes de morrer, ela recebeu centenas de amigos e admiradores que chegaram a fazer fila para cumprimentá-la. Pessoas do mundo todo ligavam para a galeria querendo saber detalhes da exposição.

Apesar de o reconhecimento pelo seu trabalho ter chegado tarde, desde a Escola Nacional Preparatória Frida sempre foi muito popular e querida por todos.

Escola Nacional Preparatória

Na Escola Nacional Preparatória, quando Frida ainda era uma adolescente, ela tinha amigos em vários grupos diferentes, seja entre os Contemporáneos ou os Maistros. Achava suas colegas cafonas e preferia fazer farra com os meninos nos corredores da escola.

Mas os seus verdadeiros camaradas eram os Cachuchas, grupo formado por sete rapazes e duas meninas que eram muito famosos na Preparatória tanto por sua inteligência quanto pelas travessuras que aprontavam. Fazia parte deste grupo Alejandro Gómez Arias, primeiro namorado de Frida e amigo íntimo até a sua morte.

Foi com este grupo que a pintora se tornou mestre da piada e do sarcasmo, mas também da lealdade e da camaradagem.

Tina Modotti

A fotógrafa Tina Modotti foi uma das amantes de Diego Rivera e responsável pelo fim do seu casamento com Lupe Marín. Além disso, foi através da amizade com Tina que Frida se filiou ao Partido Comunista e se aproximou de Diego.

A fotógrafa Tina Modotti foi uma das amantes de Diego Rivera, mas também uma grande amiga de Frida Kahlo.

Apesar de ninguém se recordar ao certo, é muito provável que Frida tenha encontrado Diego pela primeira vez em uma das festas que Tina Modotti era a anfitriã. A fotógrafa e a pintora logo se tornaram amigas íntimas e Frida foi atraída pelo mundo boêmio dos artistas que rodeavam Tina.

A recepção do casamento de Frida e Diego, inclusive, foi na casa de Tina Modotti.

Lucile Blanch

A pintora Lucile Blanch foi uma das primeiras amigas de Frida quando ela e Diego se mudaram para os Estados Unidos. Lucile tinha acabado de se mudar temporariamente para São Francisco e morava dois andares abaixo do apartamento do casal.

Como Frida e Diego não tinham telefone, eles usavam o da casa dos Blanch e dessa forma as duas pintoras estreitaram seus laços de amizade. Lucile relembra que na época Frida era bastante tímida e elas nunca falavam sobre arte.

No entanto, mantiveram uma relação bastante próxima por todo o período que o casal permaneceu nos Estados Unidos.

Leo Eloesser

O famoso cirurgião torácico Leo Eloesser, foi um dos grandes amigos de Frida Kahlo. Desde que o conheceu em 1930 até a sua morte, ela confiaria mais nas suas opiniões médicas do que qualquer outro especialista.

O famoso cirurgião torácico Leo Eloesser, foi um dos grandes amigos de Frida Kahlo.

Na extensa correspondência que mantiveram, Frida o chamava de "queridísimo doctorcito", e questionava sempre sobre suas várias doenças. Ao engravidar pela segunda vez, escreveu ao doutor pedindo uma opinião médica se deveria abortar ou levar a gravidez adiante visto todos os seus problemas de saúde.

Em 1931, Frida pintou o seu retrato com a dedicatória ["Para o Dr. Leo Eloesser, com todo amor, Frieda Kahlo".](https://www.fridakahlo.org/portrait-of-dr-leo-eloesser.jsp

Lucienne Bloch

Frida conheceu Lucienne Bloch e sua irmã Suzanne, filhas do compositor suíço Ernest Bloch, em um banquete logo que chegaram à Manhattan. Lucienne se encantou por Diego e conversou com ele a noite toda, enquanto Frida a fuzilava com o olhar. No final do jantar, a pintora caminhou até Lucienne e disse: "eu odeio você".

No outro dia Lucienne começou a trabalhar como assistente de Diego. Assim que Frida percebeu que ela não estava querendo seduzir o seu marido e sim estava encantada com a personalidade dele, tornaram-se amigas íntimas. Inclusive, muitos anos depois quando Luciene se casou e teve um filho, Frida foi escolhida como madrinha.

Junto com Lucienne, Frida aprendeu a dirigir e estudava biologia, anatomia e história. Enquanto Frida pintava ou criava esboços em seu apartamento em Nova Iorque, Lucienne desenhava estatuetas na mesa da sala.

Quando Frida teve o seu segundo aborto no Hospital Henry Ford, Lucienne esteve ao seu lado o tempo todo.

Ella e Bertram Wolfe

O estudioso e ex-comunista Bertram Wolfe e sua esposa Ella foram outros grandes amigos de Frida Kahlo e Diego Rivera. Wolfe foi o responsável pela biografia de Diego: "Diego Rivera: sua vida e sua época", enquanto Frida e Ella se tornavam amigas íntimas.

Em suas correspondências, Frida se referia ao casal como "Ella linda e Boitito meus verdadeiros cuates (camaradas)" e contava em detalhes sua rotina onde quer que estivesse. Quando a pintora teve um caso com o pintor espanhol Josep Bartolí, pediu a Ella que a amiga servisse de "caixa postal" enquanto ele estivesse nos Estados Unidos.

María Félix

A estrela de cinema María Félix foi mais uma das amantes de Diego que virou amiga íntima de Frida. A atriz foi apontada como pivô do divórcio de Frida e Diego, mas no final das contas tornaram-se muito amigas.

Há quem diga que Frida se divertia com o romance de Diego e Félix, estando sempre a par de todos os detalhes. Em certa ocasião ela chegou a escrever à atriz oferecendo Diego de presente (oferta que foi recusada por María Félix). O nome da atriz é o primeiro da lista que enfeita o quarto da pintora na Casa Azul, em Coyoacán.

Judith Ferreto

Judith Ferreto foi uma das enfermeiras particulares de Frida e a pessoa mais próxima em seus últimos anos. Seu amor pela pintora acabou ganhando ares de posse quando ela se convenceu que sabia o que era melhor para Frida e os médicos não. A relação das duas foi bastante tempestuosa, com a pintora muitas vezes gritando com ela, lhe dando chutes e expulsando-a de sua casa, para em seguida lhe chamar de volta.

Apesar de estreitar os laços com a enfermeira, Frida se sentia culpada. Certa vez, ela disse à Judith:

"Acho que cultivei seus sentimentos em benefício próprio, para usá-los a meu favor. Eu gostaria que você me amasse, que cuidasse de mim do jeito que você faz, mas que não sofresse muito. […] Muitos dos meus melhores amigos sabem que venho sofrendo a minha vida toda, mas ninguém compartilha meu sofrimento. Nem mesmo o Diego. O Diego sabe que eu sofro, mas saber é diferente de sofrer comigo."

Por muito tempo, Judith foi enfermeira de Frida durante o dia e durantes as noites, pois a pintora não queria ficar sozinha. Quando Frida teve a sua perna amputada, Judith esteve lá nos dias que antecederam a cirurgia, durante o procedimento e nos dias que se seguiram.

Esses foram apenas alguns dos amigos íntimos de Frida Kahlo, mas a lista completa é bastante extensa. A pintora tinha o poder de conquistar as pessoas por onde quer que passasse, fazendo com que elas quisessem estar cada vez mais próximas e cuidá-la em seus momentos mais delicados.

Apenas conhecendo a sua história é possível sentir o seu carisma e espontaneidade e simpatizar imediatamente com ela.

10% OFF
1ª compra
🤍