Saiba Mais Sobre a Frida Kahlo

“Eu costumava pensar que eu era a pessoa mais estranha no mundo, mas então pensei que há tantas pessoas no mundo, que deve existir alguém como eu que se sente estranha e com defeitos, da mesma maneira que eu me sinto. Eu imagino que ela deve estar por aí pensando em mim também. Bem, espero que, se você estiver por aí e ler isso, saiba que sim, é verdade, eu estou aqui, e sou tão estranha quanto você”

– Frida Kahlo

Frida Kahlo nasceu em 6 de julho de 1907 em Coyoacán, México. Viveu durante um momento histórico no México, quando a luta pela mudança social começou a ganhar importância. A Revolução Mexicana começou quando Frida tinha três anos em 1910; ela sempre deu o ano de seu nascimento como sendo 1910, para que as pessoas a associassem diretamente com a revolução.

Desde sua infância, Frida começou a mostrar grande personalidade e devoção à vida por superar um grave caso de pólio. Ela lutou por sua vida e pelo seu bem-estar emocional, porquê sua vida continuaria mesmo com os efeitos físicos de sua doença.

Frida foi admitida na Escola Nacional Preparatória e era uma das 35 mulheres da primeira geração daquela instituição. Durante seu tempo na escola, ela se juntou a um grupo conhecido como "Los Cachuchas'. O líder do 'Los Cachuchas' foi Alejandro Gomez Arias, que foi seu primeiro namorado. Em 17 de setembro de 1925, Frida e Alejandro estavam viajando de ônibus quando ele colidiu com um bonde. Esta tragédia afetou severamente sua vida e foi a segunda vez que ela quase morreu.

O período de recuperação física foi longo e Frida passou vários meses com dificuldade de locomoção e aprendeu a lidar com o tédio do processo de recuperação. Isto a levou a começar a pintar com as aquarelas de seu pai, Guillermo Kahlo. Frida logo começou a decorar seus espartilhos e também pintar suas ideias em telas pequenas. Então a mãe de Frida, Matilde Calderón, encomendou um cavalete especial para Frida a fim de que ela fosse capaz de pintar enquanto estava deitada na cama e usava um espelho colocado no teto.

Ser a filha de um fotógrafo talentoso também acrescentou a visão artística de Frida. A influência de Guillermo Kahlo a ajudou a se expressar desde jovem de uma maneira peculiar. Frida foi capaz de transferir as ideias artísticas que teve com a câmera para o espelho acima de sua cama, no qual ela mesma estava refletida. O verdadeiro talento, a habilidade e a engenhosidade de Frida era sua capacidade de transmitir o seu mundo interior e mais profundos sentimentos, emoções e pensamentos através de suas pinturas como se ela fosse uma fotógrafa. Em suas próprias palavras: "Eu pinto a minha própria realidade. A única coisa que sei é que eu pinto, porque eu preciso, e eu pinto tudo o que passa pela minha cabeça, sem qualquer outra consideração ".

Dois anos após acidente com risco de vida de Frida, ela tinha recuperado a maior parte de sua mobilidade e força. Um dia Frida decidiu visitar o Ministério da Educação Pública com três de suas peças de arte. Foi no Ministério, onde Diego Rivera estava pintando um mural e Frida para ele criticar seu trabalho. Diego Rivera descobriu um talento extraordinário e único em Frida e a incentivou a continuar seguindo seu percurso artístico na vida. Deste ponto em diante, Frida e Diego continuaram se vendo e com o tempo desenvolveu-se um relacionamento amoroso. Casaram-se no dia 21 de agosto de 1929 e este marcou o início de uma das histórias de amor mais conhecidas e extravagantes conhecidas pela humanidade.

O casal amoroso logo se tornou icônico em todo o mundo. Em um primeiro momento, Frida acompanhou Diego em uma viagem para os Estados Unidos quando ele foi contratado para pintar afrescos em cidades como San Francisco, Detroit e Nova York. Pouco a pouco, Frida começou a estabelecer seu próprio prestígio e fama e logo tornou-se mundialmente conhecida pelo seu trabalho, personalidade e autenticidade. Frida quebrou o molde artístico e demonstrou sua expressão única através do trabalho árduo, criando seu próprio estilo peculiar. Em 1938, Frida conheceu André Breton. Ele descreveu sua obra como o "surrealismo do mais alto nível." Frida respondeu: “Eu não pinto sonhos.... eu pinto minha realidade.”

Andre Breton, então, introduzido Frida para Julian Levy, que a ajudou a montar uma exposição em Nova York em 1939, e, posteriormente, na França. Frida se tornou a primeiro artista mexicana a apresentar seu trabalho no Museu do Louvre, em Paris.

É inegável que Frida passou por uma enorme dor física e emocional e que isso tenha desempenhado um papel importante em sua vida; no entanto, é claro que os principais elementos de expressão artística de Frida são considerados como amor, alegria, paixão e criatividade. Frida mostrou grande perseverança para alcançar seus sonhos e também mostrou sua felicidade, amor e paixão pela vida, apesar de todas as adversidades que passou. Frida foi capaz de redefinir a sua vida através de sua arte e ela cumpriu mais um sonho, quando ela teve sua primeira exposição na Cidade do México em 1953.

Frida viveu a vida da forma mais apaixonada. Sua existência icônica, expressão singular e extraordinárias obras de arte tem provido à humanidade otimismo, força e coragem para o futuro. Ela morreu em 13 de julho de 1954 e deixou um legado que influenciará e impactará o mundo para sempre, independentemente da idade, sexo, nacionalidade ou etnia: Pasión Por La Vida ®• Paixão pela vida ®.

10% OFF
1ª compra
🤍